Sustentabilidade foi o tema do 33º Arraiá Estrela Nova

O Movimento Comunitário Estrela Nova busca renovar, a cada ano, sua tradicional Festa Junina. Em 2016, aconteceu a substituição dos copos descartáveis por canecas, visando a diminuição de resíduos produzidos no evento.

DSC01391Com o sucesso dessa pequena ação, várias outras foram colocadas em prática no último dia 10 de junho para prestigiar os 33 anos de festa. Cerca de 1.500 pessoas lotaram a Rua João Bernardo Vieira, no Jardim Paris.

Renata Souza, professora do Centro de Educação Infantil, explica que as ideias sustentáveis deste ano surgiram da comissão de decoração, formada pelos colaboradores da instituição. Segundo ela, “esse tema vem aparecendo no Estrela Nova há algum tempo e vimos a necessidade de ampliá-lo, devido sua grande importância. Foi uma nova experiência, porque pudemos refletir sobre como as nossas atitudes podem fazer a diferença”.

Entre as novas ações, estavam as decorações confeccionadas com materiais recicláveis, cartazes espalhados pela festa com curiosidades sobre a decomposição de materiais e com dicas de como evitar o desperdício e a venda do óleo de cozinha utilizado durante o evento para a confecção de sabão em pedra.

As brincadeiras também foram utilizadas para chamar atenção das famílias sobre a necessidade dos cuidados com o meio ambiente. Os tradicionais peixinhos da “pescaria” deram lugar a latas de refrigerante, copos descartáveis e garrafas pet que, quando pescados, representavam a despoluição do rio.  

E, nas atrações, as lanternas da tradicional “Caminhada da Lanterna” foram confeccionadas com latas de alumínio pelas professoras da creche.

As novidades não param por aí. A comissão de atrações também pensou em sustentabilidade, mas no contexto cultural da festa. A intenção do grupo foi atender o desejo da comunidade por músicas e danças típicas da época, mantendo a tradição junina.

Por isso, nesta edição, o show de forró ficou por conta de Pepeu do Acordeom e as apresentações das turmas do Centro para Crianças e Adolescentes homenagearam as culturas regionais do Maranhão e de Pernambuco, com as danças “Cacuriá” e “Cavalo Marinho”.

Os jovens do CJ também inovaram na dança que acende a fogueira da festa. Eles encenaram uma quadrilha caipira diferente, adaptada com elementos urbanos e de seu próprio cotidiano.

Josias de Oliveira, comerciante da região, participou pela primeira vez do arraiá com sua família e conta: “Gostamos tanto da festa que ela poderia ser, pelo menos, em dois finais de semana. Todos estão de parabéns!”.

O Estrela Nova agradece a todos que prestigiaram seu 33º Arraiá e, de modo especial, agradece aos colaboradores, voluntários e parceiros que contribuíram para tornar possível este grande evento.

Para ver mais fotos, clique aqui!